terça-feira , 17 maio 2022
TJD-RJ aceita pedido do Fluminense e vai apurar racismo contra Gabigol

TJD-RJ aceita pedido do Fluminense e vai apurar racismo contra Gabigol

RIO DE JANEIRO, RJ (UOL-FOLHAPRESS) – O TJD-RJ (Tribunal de Justiça Desportiva do Rio de Janeiro) aceitou, na noite desta terça-feira (8), o pedido do Fluminense e abriu inquérito para apurar a denúncia de racismo contra o atacante Gabigol, do Flamengo, no clássico do último domingo.


Após o duelo, o camisa 9 rubro-negro divulgou em uma rede social um vídeo em que aponta ter sido chamado de “macaco” ao deixar o gramado. Em outra publicação, feita posteriormente, questionou a Federação de Futebol do Rio de Janeiro (Ferj): ‘até quando isso vai acontecer sem punição?’.

No despacho, Renata Mansur Fernandes Bacelar, presidente do TJD-RJ, pede que seja “oficiado o Estádio Nilton Santos para encaminhar a este Tribunal as imagens do circuito interno de segurança da data do jogo e consequente instauração de inquérito para a apuração de existência ou não de infração disciplinar desportiva, na forma do artigo 81 do CBJD”.

“Diante das alegações contidas na peça apresentada a esta presidência, determino a instauração de inquérito, na forma do artigo 81 do CBJD, para apurar os fatos narrados pelo denunciante; diga-se, de louvável iniciativa”, escreve Renata, em outro trecho da decisão

Nesta terça (7), André Valentim, procurador do TJD-RJ, em entrevista ao UOL Esporte, apontou que o material disponível ainda era inconclusivo e que aguardaria novas provas que ajudassem a identificar eventuais envolvidos. O ato racista foi flagrado pela jornalista Isabelle Costa.

“Sem imagem não tem como denunciar. Gritaram “macaco”, mas como vou denunciar sem ver de onde veio? Vou esperar para ver se aparece mais alguma informação nova”, disse.

Logo após a partida, o Flamengo emitiu uma nota oficial dando apoio ao camisa 9. A Ferj também se manifestou, e afirmou que “lamenta e repudia as ofensas dirigidas ao atleta Gabriel Barbosa, do Flamengo”, e lembrou que a “competência para avaliar o caso é do Tribunal de Justiça Desportiva-RJ”.

Ainda na noite do clássico, o Fluminense emitiu um comunicado afirmou que “está apurando o episódio”. O Tricolor, por outro lado, ressalta que “o próprio autor da divulgação do vídeo diz que teve a impressão, sem certeza, de ter ouvido as supostas ofensas e, neste sentido, o Fluminense informa que está buscando as imagens do estádio a fim de auxiliar na apuração da existência ou não do fato e na identificação de eventual autoria”. Por fim, o clube das Laranjeiras reiterou “que considera intolerável qualquer tipo de preconceito”.

Verifique também

Mercedes tem GP decisivo na Espanha e pode desistir de conceito diferentão

Mercedes tem GP decisivo na Espanha e pode desistir de conceito diferentão

LONDRES, REINO UNIDO – Quando a Mercedes apareceu no segundo teste da pré-temporada, no Bahrein, …