sábado , 25 junho 2022

Sede de jornal em Cuiabá vai a leilão com lance inicial de R$ 4,4 milhões

O prédio onde funcionava um jornal e uma emissora de rádio, de propriedade do empresário Sávio Brandão, assassinado em 2002, em Cuiabá, será leiloado nesta sexta-feira (17) pelo Tribunal Regional do Trabalho de Mato Grosso (TRT-MT). O dinheiro arrecadado com o leilão do imóvel, localizado no Bairro Consil, na capital, será usado para o pagamento de dívidas trabalhistas.

O lance inicial do imóvel penhorado pela Justiça do Trabalho é de R$ 4.403.127,21. O valor, de acordo com o TRT, corresponde à metade do valor de avaliação. Os lances já podem ser feitos pela internet, no site da leiloeira.

Os interessados podem dar lances de modo presencial no dia do leilão ou a qualquer momento pela internet.

A venda pela modalidade presencial terá início às 8h30, no auditório do prédio do TRR-MT, na Avenida Historiador Rubens de Mendonça, no Centro Político Administrativo, na capital.

A morte de Sávio Brandão

Sávio Brandão foi assassinado a tiros no dia 30 de setembro de 2002, em frente à sede do jornal Folha do Estado, no Bairro Consil, em Cuiabá. Dois homens em uma moto se aproximaram dele, que estava acompanhado de um amigo.

O homem que estava na garupa sacou uma pistola e disparou os tiros à queima roupa. A polícia aponta que a execução do empresário ocorreu devido às reportagens veiculadas no jornal de Sávio sobre negócios fraudulentos, irregularidades e jogatina ilegal que envolvia o então bicheiro João Arcanjo Ribeiro.

Prisão de Arcanjo

Então principal suspeito do crime, João Arcanjo Ribeiro foi preso em 2003 em Montevidéu, no Uruguai, depois que foi deflagrada em Mato Grosso a operação Arca de Noé, para desarticular o crime organizado no estado. Ele foi extraditado para o Brasil por determinação do juiz Julier Sebastião da Silva, em 2006, e atualmente está preso na Penitenciária Central do Estado (PCE), em Cuiabá.

Condenação

O ex-bicheiro João Arcanjo Ribeiro foi condenado a 19 anos de prisão em regime fechado pelo Tribunal do Júri, na Comarca de Cuiabá, por ser o mandante da morte do empresário Domingos Sávio Brandão de Lima Júnior, dono de um jornal na capital. O julgamento durou mais de 10 horas. Arcanjo era o único dos cinco indiciados pelo Ministério Público Estadual (MPE) por envolvimento no crime que ainda não tinha sido condenado.

 

Por G1-MT

Verifique também

Maisa agradece apoio de amigos e fãs após ser chamada de chata por Sonia Abrão

Maisa agradece apoio de amigos e fãs após ser chamada de chata por Sonia Abrão

Depois de ser chamada de chata por Sonia Abrão no A Tarde É Sua (RedeTV!), …