segunda-feira , 27 junho 2022
Rosângela Moro indica que sua candidatura por SP não atrapalha Deltan no Paraná

Rosângela Moro indica que sua candidatura por SP não atrapalha Deltan no Paraná

CURITIBA, PR – Rosângela Moro, mulher do ex-juiz Sergio Moro, indica que sua possível candidatura à Câmara dos Deputados pelo estado de São Paulo evita concorrência com o ex-procurador Deltan Dallagnol, outro representante da Lava Jato e que vai concorrer a deputado federal pelo Paraná.


“Eu acho, intimamente, que ia ser muito legal se tivesse um representante em cada estado com uma bandeira puramente lava-jatista. Então, por isso, [a escolha de disputar por] São Paulo”, afirma Rosângela em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo.

A intenção de Moro (União Brasil) em lançar sua esposa, do mesmo partido, como sua representante em São Paulo foi confirmada nesta terça-feira (14), em Curitiba. “Ela está pronta para me representar”, afirmou.

Em relação a Deltan, filiado ao Podemos, Rosângela afirmou acreditar que ele “vai fazer um excelente trabalho”.

Moro e Deltan atuaram juntos na Operação Lava Jato e a disputa de ambos por uma vaga na Câmara, pelo Paraná, representaria concorrência pelos mesmos eleitores.

A solução poderia vir com a candidatura de Moro por São Paulo, mas a tentativa do ex-juiz e ex-ministro do governo Jair Bolsonaro não deu certo.

Sua mudança de domicílio para a capital paulista não foi aceita pela Justiça Eleitoral, e Moro não poderá concorrer a nenhum cargo por São Paulo.

O PT alegou que Moro nunca residiu em São Paulo nem teve vínculo empregatício na capital paulista, o que lhe impediria de representar o estado no Congresso. Pelo contrário, sempre morou em Curitiba, onde atuou na Lava Jato.

Com sua futura candidatura impugnada, a saída foi voltar ao Paraná, para uma possível disputa ao Senado, além de sugerir a pré-candidatura de Rosângela para um cargo ainda não definido.

“Minha esposa permaneceu com domicílio eleitoral em São Paulo e está pronta, não só pra me representar, e aos valores em que eu acredito, mas por ela própria”, disse Moro.

A intenção política de Rosângela também será alvo do deputado federal Alexandre Padilha (PT-SP), que tentará impugnar sua candidatura, assim como fez com Moro.

Sobre seu desejo de concorrer a um cargo político, Rosângela repetiu a fala do marido e disse que também não tomou a decisão ainda.

“Eu tenho prazo, não precisa. Quero conhecer as pessoas, interagir com o partido de São Paulo. Essa decisão pode ser tomada até agosto, não tenho a menor pressa, e se eu for quero somar”, afirmou.

A respeito da mudança de domicílio dela e do marido para São Paulo, Rosângela disse não ver problemas em pegar um avião para “manter nossa família”.

“Quando eu voltei dos Estados Unidos, o Sergio era, então, pré-candidato pelo Podemos e a gente se estabeleceu em São Paulo num caráter meio precário. Eu tenho vínculos, tanto que não fui impugnada, [tenho] vínculos profissionais”, diz a advogada.

Questionada sobre sua experiência na política, afirma que trabalhou com associações do terceiro setor “a vida inteira”.

“Num determinado momento, você depende dos parlamentares. Então, o que me deixa tentada a dar este passo [na política] é que posso estar do outro lado e impulsionar para realmente ver aprovadas melhores políticas públicas”, disse a esposa de Moro.

Verifique também

Cármen pede para PGR investigar Bolsonaro no caso do 'gabinete paralelo' no MEC

Cármen pede para PGR investigar Bolsonaro no caso do ‘gabinete paralelo’ no MEC

A ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal, pediu nesta segunda-feira, 27, manifestação da Procuradoria-Geral …