quinta-feira , 26 maio 2022
c77d372dd14ccc24be07b2230b4ea2ac-1

Participe! Semob disponibiliza consulta pública sobre o Plano de Mobilidade e Acessibilidade de Cuiabá

A Prefeitura de Cuiabá, via Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob), elabora o Plano Municipal de Mobilidade e Acessibilidade que vai preparar a capital para os próximos dez anos. O documento é obrigatório para cidades que possuem mais de 200 mil habitantes, conforme a Lei 12.587/2012, e os municípios que não apresentarem o Plano de Mobilidade Urbana dentro do prazo determinado pela legislação ficarão impossibilitados de obter recursos federais para projetos e obras de mobilidade urbana.

O  “Consórcio Cuiabá em Movimento” –  formado pelas empresas EGL Engenharia LTDA e GPO Sistran LTDA –  realizam a coleta de informações da própria Secretaria de Mobilidade e por meio de pesquisa em campo. Foram  ouvidos, ciclistas, pedestres, pessoas  com deficiência (PCDs), motoristas, motociclistas e outros. Agora, a pesquisa segue de forma on-line. 
 
“A nossa cidade não foi planejada e a gestão do prefeito Emanuel Pinheiro atual vai investir nisso. Vamos projetar o desenvolvimento da capital e esses dados técnicos irão servir para os próximos gestores que terão um plano de desenvolvimento na mobilidade. Essas diretrizes são importantes para que o gestor saiba onde investir, onde melhorar e o que mudar na mobilidade urbana”, explicou o secretário de Mobilidade Urbana, Juares Samaniego. 
 
As informações vão se somar a estudos já realizados pela Semob para, então, a  apresentação da proposta do novo plano, que tem de ser alterado a cada dez anos. O Plano de Mobilidade será apresentado à sociedade no ano de 2022  por meio de audiências públicas, com datas ainda a serem definidas.
 
 

Verifique também

6e037f78-df6e-4a7e-85bb-e6c08e853990

Defesa territorial é fundamental para assegurar proteção de mulheres e crianças yanomami, defende MPF em audiência pública

Durante debate na Câmara dos Deputados, procurador apontou o garimpo ilegal como principal fator de risco para a comunidade indígena