quarta-feira , 18 maio 2022
Novo expulsa vereadora Janaína Lima após briga com colega de partido

Novo expulsa vereadora Janaína Lima após briga com colega de partido

MARIANA ZYLBERKAN
SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – O Partido Novo expulsou neste sábado (12) a vereadora Janaína Lima, acusada de agressão pela colega de partido Cris Monteiro, também parlamentar na Câmara Municipal de São Paulo, que foi punida com um ano de suspensão partidária.


Em texto publicado em suas redes sociais neste domingo (13), Janaína lamentou a decisão a qual recebeu “com tristeza e sentimento de forte injustiça”. “[Foi] tolhido meu direito à ampla defesa, princípio basilar da democracia”, escreveu a vereadora.

De acordo com o ex-presidente do partido e atual secretário de finanças, Moisés Jardim, a decisão da Comissão de Ética ainda cabe recurso. “Foi uma decisão pesada demais visto outras decisões anteriores”, disse.

A reportagem procurou a vereadora Cris Monteiro, mas ainda não obteve resposta.

Na prática, a expulsão não compromete o mandato da vereadora, que ficará sem partido até escolher uma nova agremiação. Já a bancada do Novo fica com um parlamentar a menos.

A briga entre as duas parlamentares ocorreu no início de novembro do ano passado durante votação da reforma da previdência. Cris registrou boletim de ocorrência contra a colega de partido após uma briga no banheiro do plenário da Câmara de São Paulo.

Vídeos mostram que as duas começaram a discutir ainda no plenário da Câmara, e seguiram para o banheiro, onde Janaína teria tentado enforcar a colega, segundo o relato de Cris.

O motivo da briga foi por um desentendimento pelo tempo de fala que cada uma teria no plenário.

Na ocasião, Janaína afirmou também ter registrado um boletim de ocorrência contra a colega e disse que “agiu em “legítima defesa do início ao fim”.

Cris obteve uma medida protetiva na Justiça que impediu Janaína de se aproximar por até 20 metros.

O caso foi apreciado também pela Corregedoria da Câmara, após Cris protocolar representação contra Janaína.

Na última quinta-feira (10), o órgão decidiu suspender a acusação de quebra de decoro contra as vereadoras.

A corregedoria entendeu que não houve quebra do decoro parlamentar, mas advertiram as duas pela violação do dever de agir com respeito.

Eleita vereadora pela primeira vez em 2016, Janaína é advogada e foi alçada à vida pública após se tornar porta-voz do Movimento Vem Pra Rua.

Verifique também

32075d35-e3b9-46bc-b88f-63ce038f52d9

Lei Seca: para PGR, medidas legislativas que protegem a coletividade são constitucionais

No STF, Augusto Aras defendeu norma que estabelece infração administrativa a motorista que se recusa a fazer teste do bafômetro