quinta-feira , 18 agosto 2022
fadb82cb-de77-4bd8-a2b5-3997e4763bb2

Mesa-redonda sobre pandemia da desinformação será realizada no Espaço Cultural, nesta quinta-feira, 4

Evento tem como público-alvo grupos mais silenciados da sociedade, mas é aberto ao público em geral


Evento será na Sala1 do Espaço Cultural,Tambauzinho, em João Pessoa

A mesa-redonda ‘Desinformação, letramento midiático e democracia’ que seria realizada no auditório do Ministério Público Federal (MPF), em João Pessoa, foi transferida para a Fundação Espaço Cultural (Funesc). O evento ocorrerá na próxima quinta-feira (4/8), a partir das 13h30, na Sala 1 da Funesc e terá como palestrante a jornalista e doutora em Linguística e Língua Portuguesa, com especialização em análise do discurso, Eliara Santana. A mesa discutirá como o fenômeno da desinfodemia (pandemia da desinformação), está relacionado à capacidade das pessoas compreenderem o funcionamento das mídias, de que forma a desinformação atinge o direito fundamental das pessoas à comunicação e como a desinformação repercute na manutenção da democracia.

As inscrições continuam abertas. Para participar, basta preencher o formulário de inscrição disponível no endereço: https://bit.ly/3IsQsZl

O evento é promovido pelo Ministério Público Federal (MPF), por meio do Gabinete do 1º Ofício, Fórum Interinstitucional pelo Direito à Comunicação (Findac-PB), Observatório Paraibano de Jornalismo da Universidade Federal da Paraíba, e pelo Intervozes – Coletivo Brasil de Comunicação Social, organização que trabalha pela efetivação do direito humano à comunicação no país.

O objetivo do debate é alcançar e capacitar os grupos mais silenciados da sociedade, como pessoas negras, mulheres cis, mulheres trans, pessoas LGBTQIAP+, indígenas, quilombolas, agricultores familiares, pessoas atingidas por barragens, dentre outros. Também é direcionado a defensores dos direitos humanos, jornalistas e órgãos e entidades interessados na temática e a toda a sociedade em geral.

Eliara SantanaPalestrante – A palestrante Eliara Santana é co-autora do livro ‘Jornal Nacional, um projeto de poder’, no qual, em parceria com Ângela Carrato e Juarez Guimarães, analisam o papel político do telejornal e questionam o discurso de isenção de um dos principais noticiários do país. Eliara Santana também é autora do livro “Jornal Nacional, um ator político em cena”, no qual discorre sobre qual foi a contribuição das estratégias discursivas do telejornal no processo de impeachment de Dilma Rousseff.

O MPF integra o Findac e, no âmbito de atuação no Fórum, o Gabinete do 1º Ofício, que tem como titular o procurador da República José Godoy Bezerra de Souza, instaurou o Procedimento Administrativo nº 1.24.000.001347/2018-10 para acompanhar e fiscalizar de forma continuada, políticas públicas ou instituições, no que diz respeito à violação de direitos fundamentais pela mídia.

Sem conotação partidária – Diante de matéria publicada na imprensa sobre desconforto interno no MPF causado pela realização do evento, os organizadores informam que a mesa-redonda não tem nenhuma conotação político-partidária. “É uma atividade voltada para o debate sobre o direito fundamental à comunicação, previsto na Constituição Federal, estimulado pela ONU e pela Unesco”, afirma o procurador da República, José Godoy Bezerra de Souza, que representa o MPF no Findac. “Há hoje uma preocupação, inclusive da Unesco, de como as minorias têm sido afetadas e atingidas pelas divulgações das fake news e por serem silenciadas no debate público, e, exatamente por isso, nós convidamos para o evento representantes desses segmentos da sociedade”, explica o procurador.

Inscritos – As inscrições do evento foram divulgadas por meio da imprensa e abertas a toda a sociedade civil. Entre as 61 inscrições estão representantes de movimentos de mulheres, movimento negro, agricultores familiares, estudantes, servidores públicos, advogados e jornalistas de jornais, portais, rádio e televisão. Há representantes do Governo da Paraíba; Prefeitura Municipal de João Pessoa; Ministério Público Estadual da Paraíba; Defensoria Pública da Paraíba; Escola Judiciária Eleitoral do Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba; Tribunal Regional do Trabalho da Paraíba; Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte; Comissão de Direitos Humanos da OAB PB; Procon (SP); Cefet (MG); UFMG; UFPB; IFPB; Associação Brasileira de Juristas Pela Democracia; Associação Paraibana de Imprensa; Comissão Pastoral da Terra; Central Única dos Trabalhadores da Paraíba; Centro Estadual de Educação Especial/ SEEC RN; Fundação Espaço Cultural da Paraíba; Movimento Nacional de Direitos Humanos na Paraíba; Movimento Mulheres em Luta; Marcha da Negritude Unificada da PB; Articulação de Mulheres Brasileiras na Paraíba; Movimento dos Atingidos por Barragens; Coletivo Estadual Mulheres; Fórum de Mulheres da UFPB; Instituto Soma Brasil; Sindicato dos Ferroviários da Paraíba e Agência Pulsar Brasil.

Assessoria de Comunicação
Ministério Público Federal na Paraíba
Telefone fixo: (83) 3044-6258
WhatsApp: (83) 9.9132-6751 (exclusivo para atendimento a jornalistas – das 10h às 17h)
Telefone para atendimento ao cidadão em geral: (83) 9.9108-0933 (das 9h às 14h)
Twitter: @MPF_PB
Youtube: MPFPB

Verifique também

f992268e-68bd-468e-9067-0b22e40d144e

PGR assina nota de repúdio ao assassinato de procurador equatoriano

Frederico Estrella foi assassinado na última segunda-feira (15)