segunda-feira , 27 junho 2022

Marcos Mion critica rol taxativo e cortes em planos de saúde

O apresentador e humorista Marcos Mion, 42, esteve no programa Encontro com Fátima Bernardes (Globo) na manhã desta quarta-feira (15) e comentou sobre os cortes de planos de saúde e o rol taxativo, e como isso pode influenciar na vida de pessoas no espectro autista e todos que usam planos de saúde.


“[Isso atinge] basicamente qualquer um que usa o plano de saúde”, começou o apresentador. Ele já vinha comentando sobre o assunto em suas redes, e mostrando os prejuízos que a decisão traria. “É revoltante, é a palavra que define. Não consigo pensar em nenhuma razão ética ou humanamente aceitável para se votar a favor do rol taxativo.”

O rol taxativo consiste basicamente em uma lista que determina o que os planos de saúde e seguradoras podem cobrir ou não, isso envolve desde terapias até mesmo cirurgias e tratamentos. “Já era uma luta muito difícil. Agora nós achamos impossível. O rol dava a oportunidade”, completou.

Mion, que tem um filho no espectro autista, ressaltou que para famílias de autistas o rol é extremamente prejudicial. “É um desespero. Para o autista evoluir, ele precisa das terapias e elas têm que ser constantes. A luta da criança dentro do espectro autista, dependendo do grau, é constante. Quando você tira isso, você está tirando o direito dessa criança existir na sociedade.”

Ele ainda pontua ser bom saber os nomes dos senadores que votaram a favor do rol taxativo, para conhecer a opinião dos políticos sobre a decisão. “Foi votado por pessoas, e isso poderia ter sido evitado”, afirmou o humorista.

Verifique também

Famosos que ninguém quer ter como vizinho (e talvez nem você)

Famosos que ninguém quer ter como vizinho (e talvez nem você)

Viver ao lado de uma celebridade pode parecer divertido e fascinante, mas a realidade nem …