domingo , 26 junho 2022
Luiza Trajano não é mais bilionária e deixa a lista da Forbes

Luiza Trajano não é mais bilionária e deixa a lista da Forbes

A empresária Luiza Trajano, presidente do conselho de administração do Magazine Luiza, foi retirada da lista de bilionários da Forbes após sua fortuna recuar para menos de US$ 1 bilhão.


De acordo com publicação da revista, a fortuna da executiva vinha em queda desde 16 de julho de 2021, quando atingiu o recorde de US$ 5,6 bilhões (R$ 28,6 bilhões, em valores atuais).

A saída de Trajano acompanha o desempenho negativo do Magazine Luiza na Bolsa, reflexo do atual cenário econômico brasileiro, marcado pela inflação e taxa de juros altas.

Nos últimos 11 meses, as ações da companhia recuaram cerca de 90%, saindo de R$ 24, em meados de 2021, para os atuais R$ 2,55.

Com a queda no valor dos papéis, a empresária viu sua riqueza recuar para menos de US$ 1 bilhão. A Forbes não indicou em quanto está a fortuna atualmente, mas, considerando o valor em reais, ela precisaria ser inferior a US$ 196 milhões para que Trajano deixasse de ser bilionária no Brasil.

De acordo com a Forbes, em dezembro de 2021, a fortuna de Trajano já havia encolhido para US$ 1,4 bilhão (R$ 7,1 bilhões), o que representa uma desvalorização de 75% em relação ao recorde atingido em julho do ano passado. Em seis meses, a empresária sofreu uma perda de US$ 4,2 bilhões (R$ 21,5 bilhões).

Atualmente, Trajano possui pouco mais de 17% do Magazine Luiza, empresa que foi fundada em 1957 por sua tia, Luiza Trajano Donato.

Em 2015, a executiva passou o cargo de CEO para seu filho Frederico e, desde então, ela ocupa o posto de presidente do conselho.​

QUEM É LUIZA TRAJANO

Luiza Trajano começou a trabalhar aos 12 anos na empresa da família, no município de Franca (SP), e transformou o negócio varejista em uma das maiores empresas da América Latina.

Formada na Faculdade de Direto de Franca, em 1972, Trajano assumiu o comando do Magazine Luiza em 1991. Sob sua gestão, a rede varejista criou as primeiras lojas virtuais, dando início a uma jornada de digitalização que seria uma das marcas da empresa e ganharia volume após Frederico assumir como CEO.

Em 2021, Trajano foi eleita uma das 25 mulheres mais influentes de 2021 pelo jornal britânico Financial Times. Na ocasião, ela foi a única brasileira selecionada.

Na lista, a executiva é definida como uma das mulheres de negócios e líderes sociais mais notáveis do Brasil, considerada uma inspiração para empreendedores em todos os lugares.

Trajano também foi a única brasileira na lista feita pela revista americana Time com as 100 pessoas mais influentes do mundo em 2021.

O texto sobre a trajetória da ex-CEO do Magazine Luiza na revista é assinado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. “Em um mundo corporativo ainda dominado por homens, uma mulher brasileira, Luiza Trajano, conseguiu transformar o Magazine Luiza, que começou como uma única loja em 1957, em um gigante do varejo avaliada em dezenas de bilhões. É uma enorme conquista -uma entre muitas”, diz o relato.

Trajano, inclusive, chegou a ser cogitada por dirigentes partidários como um nome competitivo para compor uma chapa presidencial, o que sempre foi refutado por ela.

Verifique também

Recessão nos EUA vai afetar América Latina, diz Citi

Recessão nos EUA vai afetar América Latina, diz Citi

As chances de um “pouso suave” nos Estados Unidos, em meio à subida de juros …