sexta-feira , 21 janeiro 2022
Governo vai liberar R$ 2,3 bi para recuperar cidades e estradas afetadas por chuvas

Governo vai liberar R$ 2,3 bi para recuperar cidades e estradas afetadas por chuvas

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) – O governo Jair Bolsonaro (PL) vai destinar R$ 2,3 bilhões para ajudar na recuperação de cidades e recuperação de estradas afetadas pelas fortes chuvas no país.


Os recursos serão liberados por meio de crédito extraordinário, instrumento previsto na Constituição para destravar verbas em meio a situações emergenciais e imprevisíveis.

O dinheiro fica livre de restrições fiscais como o teto de gastos, que limita o avanço das despesas à inflação.

O recurso será destinado aos ministérios da Infraestrutura, comandado por Tarcísio de Freitas, e do Desenvolvimento Regional, chefiado por Rogério Marinho.

A Infraestrutura já havia recebido R$ 200 milhões no fim de dezembro do ano passado, mas os recursos são insuficientes diante das necessidades e do grande número de cidades atingidas. Por isso, a pasta receberá uma injeção de mais R$ 1 bilhão.

Já o Desenvolvimento Regional ficará com outro R$ 1,3 bilhão. A expectativa é que o dinheiro seja usado para recuperação de infraestrutura urbana, reservatórios de água, equipamentos de saneamento, entre outras finalidades.

O Ministério da Cidadania, responsável por programas de assistência social, já havia recebido R$ 700 milhões no fim de 2021. Até o momento, não há previsão de novos recursos para a pasta.

Com o novo crédito, os recursos do governo federal para responder às tragédias atingirá ao menos R$ 3,2 bilhões.

A liberação bilionária vem após Bolsonaro ter sido alvo de duras críticas por ter protagonizado momentos de lazer durante uma viagem a Santa Catarina, registrados em fotos e vídeos que circularam nas redes sociais, enquanto famílias sofriam com as enchentes.

Para amenizar as críticas, o governo federal montou uma força-tarefa para divulgar as respostas de Bolsonaro à tragédia. Nos canais oficiais, além de auxiliares do presidente e ministros, ações de ajuda às áreas atingidas foram atribuídas ao comando do presidente.

As cidades mais atingidas pelas chuvas estão na Bahia e em Minas Gerais, mas interlocutores do governo explicaram que os recursos não serão carimbados para essas regiões. Municípios em outros estados também têm sofrido com o alto volume de precipitações.

Em Minas, as chuvas já causaram a morte de pelo menos 25 pessoas e interdição de mais de uma centena de estradas. Mais de 26 mil pessoas estão desalojadas e 4 mil ficaram desabrigadas.

Nesta quinta-feira (13), o governo mineiro reconheceu a situação de emergência de mais 33 municípios, levando o número total a 374.

No caso da Bahia, o governador Rui Costa (PT) disse, em entrevista à Folha, que o enfrentamento às chuvas é o maior desafio de sua gestão. As enchentes destruíram estradas e inutilizaram estoques de medicamentos e vacinas.

A Defesa Civil do estado informou na quarta-feira (12) que o número de municípios afetados chegava a 191, dos quais 175 decretaram situação de emergência. O governo baiano registra 26 mortos, 532 feridos, duas pessoas desaparecidas.

Segundo o governo da Bahia, mais de 27 mil pessoas estão desabrigadas, e quase 60 mil foram desalojadas de suas casas.

Verifique também

Evergrande contrata assessores financeiros para lidar com ameaça de credores

Evergrande contrata assessores financeiros para lidar com ameaça de credores

Enquanto enfrenta uma grave crise de liquidez, a incorporadora imobiliária China Evergrande Group anunciou nesta …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *