terça-feira , 28 junho 2022
picture.jpg

Conheça a “síndrome pós-orgasmo” que acomete homens

Você já ouviu falar da síndrome pós-orgasmo? Trata-se de uma condição rara que geralmente acomete os homens e causa, logo após o orgasmo ou algum tempo depois, sintomas que nada têm a ver com a região genital – confusão, dificuldade de fala, leitura ou escrita, dor muscular, coceira nos olhos e fadiga, além de outros sintomas associados ao resfriado.

Essa curiosa condição foi descrita pela primeira vez em 2002, e até hoje não possui causa específica nem mesmo cura para o desencadear de seus efeitos. Em resumo, pouco se sabe sobre a síndrome, mas uma nova pesquisa publicada no periódico científico Sexual Medicine Reviews trouxe, pela primeira vez algumas possíveis explicações.

Ejaculação

A pesquisa é uma revisão de 50 estudos de caso sobre o assunto, os únicos documentados na literatura médica. De acordo com os autores, pesquisadores da Universidade Tulane, em New Orleans, nos Estados Unidos, os sintomas podem variar caso a condição tenha surgido logo na primeira vez que a pessoa ejaculou ou se ela se desenvolveu mais tarde.

De qualquer forma, em ambos os casos, os sintomas surgem com o orgasmo da ejaculação. Além disso, há indícios de que eles tenham alguma relação com a ejaculação precoce, embora as causas sejam desconhecidas.

Alergia ao sêmen

Apesar disso, alguma hipóteses para os efeitos adversos do orgasmo foram levantadas. A ideia mais aceita pelos cientistas é a alergia ao próprio sêmen. Embora isso seja apenas evidência circunstancial, com base nos casos já relatados, os pesquisadores acreditam que os pacientes podem ter sensibilidade a algum componente do líquido seminal.

Abstinência

Outra teoria sugere que, para essas pessoas, as substâncias químicas liberadas durante o orgasmo são liberadas em quantidades muito maiores do que o normal. As endorfinas são hormônios que causam sentimento de euforia e inibição da dor, mas se liberadas em excesso podem levar à abstinência ao se dissiparem, causando imenso desconforto.

 

Por VEJA

Verifique também

Decisão nos EUA vira gatilho para ampliar garantias ao aborto em países da Europa

Decisão nos EUA vira gatilho para ampliar garantias ao aborto em países da Europa

GUARULHOS, SP – Mulheres da França podem realizar o aborto legal no país há quase …