sábado , 16 outubro 2021
Celebração do Talibã deixa 17 mortos; aeroporto de Cabul reabre para voos internos

Celebração do Talibã deixa 17 mortos; aeroporto de Cabul reabre para voos internos

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Fechado desde terça-feira (31), um dia depois de os Estados Unidos completarem a retirada de suas tropas do Afeganistão, o aeroporto de Cabul foi reaberto neste sábado (4) para receber ajuda humanitária e realizar viagens internas, de acordo com o canal de TV Al Jazeera.

Uma equipe enviada pelo Qatar fez reparos na pista do aeroporto nos últimos dias, permitindo que dois voos partissem da capital afegã para as cidades de Mazar-i-Sharif e Kandahar.
A saída americana ocorreu em meio à rápida tomada do poder no Afeganistão pelo grupo radical islâmico Talibã. Mesmo que os EUA tenham retirado mais de 120 mil pessoas do país em duas semanas, outros milhares que queriam fugir, com medo da vida sob o domínio dos extremistas, foram deixados para trás.

Na sexta (3), combatentes da facção disseram ter conquistado a área do país que ainda não estava sob seu controle, o vale de Panjshir, uma região a 100 km da capital que tradicionalmente concentra forças anti-Talibã. Porém, Ali Maisam Nazary, um porta-voz da resistência que estaria fora do vale, mas em contato com o líder principal, Ahmad Masud, afirmou que os combates seguem intensos.

A Frente Nacional de Resistência, formada por milícias e antigas forças de segurança afegãs, têm grandes reservas de armas no vale, que, de acordo com vídeos em contas pró-Talibã no Twitter, foram tomadas.

Ainda que líderes da resistência neguem terem sido derrotados, membros do grupo agora de volta ao poder comemoraram a suposta conquista com disparos de armas de fogo para o alto em Cabul. A celebração terminou, segundo uma agência de notícias local e a Tolo News, principal TV do país, com 17 pessoas mortas e 41 feridos, o que gerou críticas do principal porta-voz do Talibã, Zabihullah Mujahid.

“Evite atirar para o alto e agradeça a Deus”, disse ele em uma rede social. “As balas podem ferir civis, então não atire desnecessariamente.” A declaração de Mujahid está alinhada às promessas de moderação da facção extremista, numa tentativa de parecer mais palatável às nações estrangeiras, sobretudo as ocidentais, uma vez que, para gerir o país e conseguir ajuda, o Talibã necessitará de apoio internacional.

A expectativa era a de que o grupo divulgasse na sexta a formação do novo governo. O anúncio do gabinete, que o Talibã promete ser representativo e tolerante, no entanto, não deve acontecer até ao menos este sábado (4), de acordo com um porta-voz do movimento à agência de notícias AFP.

Verifique também

Rainha é flagrada criticando líderes que 'falam, mas não agem' sobre crise do clima

Rainha é flagrada criticando líderes que ‘falam, mas não agem’ sobre crise do clima

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – A rainha Elizabeth 2ª afirmou que está irritada com os …