domingo , 26 junho 2022

CBF articula renúncia coletiva e ‘eleição relâmpago’

O presidente afastado da CBF, Marco Polo Del Nero,  e seus principais aliados já consideram irreversível a situação do dirigente, suspenso pela Fifa, e começam a trabalhar nos bastidores para fazer uma “eleição relâmpago” na entidade. O objetivo é encurtar o tempo de articulação de uma chapa de oposição e alçar Rogério Caboclo, diretor de Gestão da confederação e homem de absoluta confiança de Del Nero, à presidência. Para isso, estudam uma renúncia coletiva, do próprio Del Nero e de seus quatro vices.

Assim, Del Nero estaria se antecipando a uma decisão definitiva da Fifa pelo seu banimento do futebol, e se manteria no controle paralelo da CBF. 

Pelo menos três dos quatro vices já teriam concordado com a manobra. Com a renúncia coletiva, uma nova eleição teria de ser convocada em até 30 dias. A princípio, neste cenário, o novo eleito cumpriria apenas o tempo restante do mandato de Del Nero, que vai até abril de 2019. Mas aí o que se projeta é a convocação de uma assembleia para tratar exclusivamente da mudança de estatuto e assim permitir que o eventual substituto de Del Nero fique no poder no mínimo até 2023.

Toda essa trama vem ganhando corpo nos últimos dias e seus maiores defensores, entre os quais se destacam o próprio Del Nero, Rogério Caboclo e o vice Gustavo Feijó, acreditam que a renúncia coletiva passaria a imagem de uma nova CBF à opinião pública. Apostam nisso, no que contam com o apoio de várias federações estaduais. Mas outras dessas entidades e alguns dos principais clubes do País podem criar dificuldades para que a manobra se concretize.

 

Por Terra

Verifique também

Branco Mello volta aos palcos com Titãs após tratamento contra um câncer

Branco Mello volta aos palcos com Titãs após tratamento contra um câncer

RIO DE JANEIRO, RJ – Branco Mello está de volta aos shows dos Titãs. Depois …