quinta-feira , 18 agosto 2022
Benzema em melhor versão faz crescer otimismo da França para a Copa do Mundo

Benzema em melhor versão faz crescer otimismo da França para a Copa do Mundo

BRUNO RODRIGUES
SÃO PAULO, SP – Desde que foi apresentado pelo Real Madrid, em 9 de julho de 2009, com cerca de 15 mil pessoas no Santiago Bernabéu e uma camisa ainda sem número, Karim Benzema não só confirmou ano após ano o talento que mostrava no início de carreira no Lyon mas hoje é um atacante melhor e mais completo.


Quando surgiu para o futebol, o francês era um jogador destinado a marcar gols -foram 37 ao todo nas duas edições da Ligue 1 anteriores à sua chegada na Espanha. No Real, porém, entendeu que não seria ele o artilheiro. O papel coube a Cristiano Ronaldo, que se tornou o maior goleador da história merengue.

Foi preciso então que Benzema adaptasse seu jogo, gerando espaços para o brilho do português.

Nas temporadas 2009/2010 e 2010/2011, registrou 6 e 9 assistências, respectivamente. A partir de 2011/2012, veio o salto no número de oportunidades criadas para os companheiros: foram 19 passes para gol, seguidos de 21 em 2012/2013, 16 em 2013/2014 e 15 em 2014/2015. Os números são do site Transfermarkt.

“As pessoas veem Benzema somente como um atacante, mas ele também tem a habilidade de um meio-campista de talento. Ele tem tudo, é um jogador completo e fantástico”, disse o técnico Carlo Ancelotti, campeão da Champions League com o Real Madrid em 2014.
Ancelotti voltou a trabalhar com o francês no ano passado, em seu retorno ao Real. O Karim Benzema que encontrou caminha para completar a melhor temporada da carreira. Já são 30 gols e 12 assistências no atual curso, com quase meio turno de LaLiga pela frente e o mata-mata da Champions.

O time espanhol se classificou para as quartas de final do torneio europeu na última quarta-feira (9), com a vitória de virada por 3 a 1 sobre o Paris Saint-Germain, em Madri. Benzema marcou os três em um intervalo de 17 minutos.

Quem comemora, além de Carlo Ancelotti, é outro treinador que segue atentamente o desempenho do atleta: Didier Deschamps, o comandante da seleção francesa que buscará, no Qatar, o bicampeonato mundial consecutivo.

Deschamps foi o responsável por reincorporar o atacante à equipe nacional depois de um hiato de seis anos.

Em 2015, Benzema foi acusado de ser cúmplice de uma tentativa de extorsão ao seu companheiro de seleção Mathieu Valbuena, para que não fosse compartilhado um vídeo com conteúdo sexual envolvendo o meio-campista, que atuava à época no Lyon.

Investigado, Benzema foi impedido judicialmente de se aproximar de Valbuena, o que impossibilitaria que ambos compartilhassem convocações. Nem ele nem Benzema fizeram parte do grupo vice-campeão europeu em 2016, que já tinha Deschamps no comando.

Campeão do mundo em 2018 sem o jogador do Real Madrid, o técnico disse ter conversado depois com o atleta e refletido sobre sua volta à seleção francesa. “Foi uma convicção profunda que me levou a convocá-lo”, afirmou.

Karim Benzema vestiu novamente a camisa azul da França nos jogos preparatórios para a Euro de 2021. No torneio, apesar dos quatro gols marcados (dois contra Portugal e dois contra a Suíça), deixou a sensação de ainda precisar se adaptar melhor aos companheiros, especialmente seus colegas de ataque Kylian Mbappé e Antoine Griezmann, que passou a jogar recuado, atrás da dupla, como organizador.

As apresentações mais recentes, contudo, mostraram um Benzema cada vez mais integrado. Nas últimas quatro partidas da seleção, incluindo a semifinal e a final da Nations League, marcou cinco gols.
Sua reintegração e a possibilidade de confirmar a melhor temporada pelo Real coincidem ainda com o momento positivo vivido por Mbappé, autor de 25 gols e 14 assistências pelo PSG em 2021/2022.

O atacante de 23 anos por pouco não foi o herói do clube parisiense nas oitavas de final da Champions, ao marcar o tento da vitória em Paris e também o gol que abriu o placar no Santiago Bernabéu. Do outro lado, contudo, havia Benzema.

“Às vezes eu paro um pouco em campo só para ver eles [Mbappé e Benzema] jogarem: é maravilhoso. Quanto mais eles jogarem juntos e se combinarem em campo, melhor será para nós. A partir disso é que criamos vantagens, oportunidades e gols. Então, é ótimo que eles se entendam dessa maneira”, comentou Griezmann, durante entrevista ao canal Téléfoot, sobre ter o camisa 9 do Real Madrid de volta.
Em sua sala no centro de treinamentos de Clairefontaine, casa da seleção francesa, Didier Deschamps sorri.

Verifique também

Yuri Alberto festeja gols 'na hora certa' e revela premonição do presidente

Yuri Alberto festeja gols ‘na hora certa’ e revela premonição do presidente

Foram nove jogos para Yuri Alberto finalmente anotar um gol com a camisa do Corinthians. …