terça-feira , 17 maio 2022
240db58abda082a4fe76ab78c9550bff6275155d83d6c

Barranco se reuniu na Seduc para tratar sobre a retomada do Profuncionário

Foto:
PEDRO LUIS VELASCO DE BARROS

O deputado estadual Valdir Barranco (PT) se reuniu na quinta-feira (5) com o secretário adjunto de Educação, Amauri Monge; a secretária adjunta de gestão de pessoas, Flávia Soares; a deputada federal, Professora Rosa Neide (PT-MT); e representantes dos profissionais da educação de Mato Grosso para cobrar urgência no retorno do Profuncionário.

Na reunião ficou decidido que a retomada das inscrições do programa será no dia 10 de julho, com início dos cursos em 10 de setembro, mas tudo isso dependendo de uma parceria com o Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT). “Buscaremos essa dualidade da forma mais rápida possível com a instituição para antecipar o quanto antes o começo das inscrições e das aulas de capacitação. O programa prevê um investimento de quatro milhões de reais para a execução de dois anos de curso. O valor corresponde a 65 reais mensais por funcionário, um custo baixo para os ganhos advindos da qualificação”, afirmou Barranco.

O secretário adjunto, Amauri Monge, disse que a pasta não dispõe do valor total para que os 2.165 profissionais da educação sejam atendidos pelo programa, por isso precisa dessa união para dar seguimento ao processo. “A Seduc não tem esse valor todo em caixa para colocar o projeto em prática, por isso precisamos nos unir com o IFMT. Com a confirmação do instituto, podemos dar encaminhamentos sobre o processo e, por fim, abrir as inscrições em julho e dar início as aulas em setembro”, argumentou.

Presentes na conversa, os vigilantes Zenil, Rubens, André Moura e Jonas Andrade; e o responsável por serviços gerais, Ravanílson; todos representando os profissionais, ficaram satisfeitos com a proposta apresentada. “Se realmente houver essa suplementação que o deputado disse, a gente pode trabalhar com a abertura das inscrições em julho com início do curso ainda neste ano”, falou Rubens.

O vigilante André Moura relatou que os profissionais precisam urgentemente dessa qualificação, pois muitos estão realizando serviços sem o devido conhecimento. “Necessitamos da abertura do curso para capacitar e instruir os profissionais para as diversas situações que ocorrem durante o tempo que estamos em serviço nas instituições de ensino. Infelizmente, todos nós já fazemos os serviços de manutenção e afins, mas estamos sem a qualificação necessária para isso”, explicou.

A deputada Rosa Neide reafirmou o planejamento de entrar em contato com o IFMT e o professor João Monlevade, um dos precursores do instituto, para fechar essa colaboração entre as partes. “Vamos puxar o IFMT para essa sociedade. Entrarei em contato com o João para ele participar de todo o processo de diálogo, devido ao seu conhecimento sobre as aulas de capacitação, e decretaremos essa união. O Profuncionário tem de sair neste ano”, salientou.

Verifique também

7fd15933-a61b-41c9-9421-7e8ffaaca43d

STF declara inconstitucionais leis que preveem foro especial para delegados de polícia e procuradores de Estado

Decisão atende pedido do MPF em ações diretas contra constituições dos estados do Rio de Janeiro, Maranhão e Mato Grosso do Sul